top of page

Os Três Perigos da Diversity Washing - Quando as ações não refletem um compromisso real com DEI


Diversity washing é o termo usado para descrever a prática de empresas aparentarem se preocupar com a diversidade, equidade e inclusão (DEI) apenas para aumentar sua reputação ou apelo de mercado, sem realmente implementar ações significativas para promover esses valores. Existem três perigos principais da diversity washing:


  1. Enganar os funcionários e a sociedade: Quando as empresas fazem pouco para promover a DEI, mas ainda afirmam publicamente que são comprometidas com esses valores, os funcionários podem ficar frustrados e descrentes. Isso também pode levar a uma descrença geral da sociedade nas afirmações das empresas sobre DEI, o que pode prejudicar a sua reputação a longo prazo.

  2. Esconder problemas reais de DEI: Quando as empresas fingem se preocupar com a DEI, elas podem mascarar problemas reais de discriminação ou exclusão dentro da empresa. Isso pode impedir que esses problemas sejam identificados e resolvidos de maneira eficaz.

  3. Desperdiçar oportunidades de promover mudanças positivas: Ao se concentrar em ações inconsistentes do tipo "raio empoderador", as empresas perdem a oportunidade de implementar ações significativas para promover a DEI e criar mudanças positivas na empresa e na sociedade.


Isso, sem contar a evasão de talentos, e a perda real de lucratividade, devido ao desperdício do potencial de inovação que só o pensamento diversificado oferece.

Para evitar a diversity washing e promover de verdade a DEI, as empresas podem implementar as seguintes ações:


  • Criar metas e objetivos específicos para a DEI: Isso inclui estabelecer metas de diversidade para contratações e promoções, bem como criar programas de treinamento e desenvolvimento para promover a inclusão e a equidade.


  • Ser transparente sobre as iniciativas de DEI: As empresas devem ser honestas sobre as ações que estão tomando para promover a DEI e estar dispostas a compartilhar os resultados dessas ações com os funcionários e o público.


  • Investir em diversidade de pensamento: Além de promover a diversidade étnica e de gênero, as empresas também devem buscar variedade de experiências, perspectivas e habilidades entre os funcionários. Isso pode ser feito, por exemplo, através de programas de mentoria e treinamento para promover o crescimento de lideranças diversas.


  • Trabalhar com parceiros e grupos comunitários é outra maneira importante de promover a DEI. Isso pode incluir colaborar com organizações de base comunitária e ONGs para apoiar iniciativas de DEI, bem como participar de eventos e fóruns que abordem questões de DEI. As empresas também podem considerar a possibilidade de doar recursos e tempo para apoiar esses esforços. Além disso, é importante ser um bom cidadão corporativo e garantir que a empresa esteja contribuindo positivamente para a comunidade em que está inserida.

Enfim, não basta fazer a coisa certa, pelos motivos errados. Quando se trata de Diversidade, Eqüidade e Inclusão, é preciso fazer a coisa certa, pelos motivos certos.

Ao longo dos últimos 12 anos, tenho tido a oportunidade e a alegria em poder contribuir como palestrante, consultora e produtora de conteúdo sobre DEI para mais de dez organizações comprometidas com ações significativas.


E o que todas elas têm em comum? Mais que preocupação com a pauta ESG e as demandas dos acionistas, elas querem um mundo mais justo e equânime.


P.S.: A sua organização já promove ações em Diversidade, Eqüidade e Inclusão? Se um ambiente psicologicamente seguro para todas as pessoas é prioridade para a sua empresa, conheça as minhas soluções em palestras, consultoria e produção de conteúdo sobre Comunicação Empática, Prevenção ao Assédio Sexual e Moral, Eqüidade de Gênero e capacitação em Liderança Feminina.


0 comentário

Comments


bottom of page